O partido Novo que já nasceu velho

João Filho
5 de Novembro de 2017, 8h58

O ex-presidente do Banco Central do governo FHC, Gustavo Franco, anunciou sua desfiliação do PSDB. Na última segunda-feira, ele deu entrevista para a Folha se mostrando bastante decepcionado com a crise ética pela qual passa o partido e decidiu se filiar ao Partido Novo. Foi o mesmo caminho seguido pelo ex-tucano e técnico de vôlei Bernardinho. Com o PSDB dividido entre continuar apoiando ou não um governo marcado pela corrupção, talvez essa revoada de tucanos para o Novo seja uma tendência nos próximos meses. É um caminho natural, as eleições estão aí. Certamente muita gente vai querer dar uma repaginada no visual e trocar o desgastado uniforme azul e amarelo.

Gustavo Franco vai para o Novo, mas o seu projeto político continuará sendo o mesmo que vem sendo implantado pelo conluio PMDB/PSDB desde a tomada do poder: “reformar as instituições públicas para que seus gastos caibam na receita”. Traduzindo do tucanês: privatizar estatais, cortar verbas dos serviços públicos, subtrair direitos trabalhistas para, assim, enxugar o Estado e dar liberdade total para o mercado, que magicamente resolverá todos os problemas sociais. Enfim, trata-se do velho e fracassado receituário neoliberal de sempre. Franco chega ao Novo no momento em que ocupa o cargo de presidente do Instituto Millenium — o think tank liberal patrocinado por grandes empresas e grupos de mídia — o que o torna um reforço ainda mais interessante para o partido.

Mas quem são os fundadores do Novo? Bom, apesar de publicamente dizer que foi fundado por engenheiros, médicos, administradores e outros profissionais liberais, o partido foi criado principalmente por dois homens muito ricos que ocuparam cargos de alto escalão em bancos brasileiros. Ambos apareceram no Bahama Leaks como proprietários de off-shores que, segundo eles, foram devidamente declaradas à Receita Federal.

João Dionisio Amoêdo é engenheiro e administrador de empresas que construiu carreira em bancos e acabou se tornando um banqueiro. Começou estagiário no Citibank e acabou virando sócio da BBA. Tem relacionamento longo e estreito com Armínio Fraga, Gustavo Franco e boa parte do escalão da equipe econômica do governo FHC. Foi presidente do Partido Novo até recentemente, quando deixou o cargo para poder disputar algum cargo nas próximas eleições. É o principal homem da legenda.

O também engenheiro Ricardo Coelho Taboaço, que acabou de assumir a presidência do partido, também construiu carreira no alto escalão de instituições financeiras. Foi sócio diretor do Grupo Icatu e vice-presidente do Citibank.

Os fundadores do Novo se vendem como cidadãos comuns, insatisfeitos com os maus serviços públicos e com os altos impostos. Mas nós vivemos em um país onde os bancos, apesar de sempre lucrarem loucamente, pagam menos impostos que os assalariados. Imagino que mexer nesse privilégio não é — nem nunca será —  uma proposta da legenda dos banqueiros.

É um partido novo, mas que chegou para representar quem sempre esteve muito bem posicionado dentro de todos os governos brasileiros. Mas para não dizerem que não falei das flores, há, sim, uma novidade ou outra ali. Não que isso seja necessariamente positivo, muito pelo contrário. A lógica empresarial é que dá as cartas na estrutura interna do Novo. O partido recruta novos candidatos para disputar eleições como as grandes corporações recrutam trainees. O processo seletivo é mais parecido com o programa “O Aprendiz” do que com a democracia. Este trecho de matéria da revista Exame mostra bem os detalhes:

Todos os pré-candidatos do Novo para uma vaga no Congresso tiveram que pagar uma taxa de inscrição de 600 reais. Aspirantes a uma vaga na corrida eleitoral pela Assembleia Distrital pagaram 300 reais. (…) A primeira etapa, que correspondia à análise curricular e teste sobre valores da sigla, aprovou apenas 284 dos 460 inscritos. Até o final de junho, esse grupo de pré-candidatos será avaliado por uma banca de membros do partido durante entrevistas. Nas próximas fases, a ideia é ver, na prática, como o pré-candidato se sairia em uma campanha.

Esqueçam o conceito de representatividade política, tão cara à democracia. No Novo ela só vale para banqueiros e mercado financeiro. Apenas critérios meritocráticos serão levados em conta na escolha dos candidatos. Provavelmente você não verá nenhum lixeiro liberal se candidatando pelo Novo para representar a sua categoria. A taxa de inscrição é cara e os candidatos passam por uma “análise curricular”. Com esse conceito torto de democracia, talvez o grande sonho do Novo seja eliminar as eleições e escolher nossos representantes através de concursos públicos.

Outra novidade é que o partido abriu mão do Fundo Partidário. Aparentemente uma iniciativa bastante louvável, mas que não chega a merecer salva de palmas. Convenhamos, quem precisa de Fundo Partidário quando se tem a alcunha de “queridinho do mercado financeiro”? Dinheiro não é problema.

O programa político do Novo é essencialmente econômico. O partido simplesmente se recusa a discutir temas como aborto, casamento gay e legalização da maconha. Mas não esperemos um liberalismo progressista, tão escasso no Brasil. Apesar do terninho bem cortado e do discurso pretensamente moderno, o Novo promete não ser muito diferente de um PSC da vida nessa seara. O perfil do partido no Twitter dá um indicativo de como o partido se posiciona em relação aos Direitos Humanos, por exemplo:

A Declaração Universal do Direitos Humanos é um avanço civilizatório da humanidade. Tratá-la como uma questão ideológica, de esquerda, revela a mais profunda ignorância. É o bolsonarismo gourmet.

Mesmo se furtando a debater questões relevantes para o país, o Novo pretende lançar um candidato à presidência da República. Alguns outsiders vem sendo ventilados, como Flávio Rocha, João Doria, Luciano Huck e o próprio ex-presidente do partido João Amoedo.

Flávio Rocha, dono da Riachuelo, já tem currículo na política e representa o que há de mais velho nela. Foi eleito deputado federal pela primeira vez pelo PFL em 1986. Depois, à convite de Collor, foi para o PRN, onde se reelegeu. Em 1990, chegou a ser candidato à presidência da República, mas foi obrigado a renunciar após de ter seu nome envolvido no escândalo dos bônus eleitorais. Mesmo com todos esses esqueletos no armário, Rocha é considerado por Amoedo uma “pessoa alinhada com os princípios do Novo e um bom gestor. Pode ser um bom nome (do partido à presidência).” Bom, como gestor ele já teve uma de suas fábricas condenada por submeter funcionários a longas jornadas de trabalho em troca de salários abaixo do mínimo, além de cometer abusos físicos e psicológicos. E se estiver tão bem alinhado aos princípios do Novo, então aí é que a coisa piora mesmo, já que na semana passada ele escreveu um artigo delirante alertando sobre o avanço de um plano comunista para dominar o povo brasileiro — tipo Pastor Marco Feliciano.

Luciano Huck recebeu pessoalmente o então presidente do Novo em Angra dos Reis. Segundo a revista Piauí, ele emparelhou sua lancha ao lado do luxuoso iate do apresentador e conversaram por 40 minutos. De lá pra cá, o nome do tucano global vem se tornando cada vez mais forte. Huck ganhou espaço nobre na imprensa para fazer suas análises de conjuntura e falar o que pensa sobre o futuro do Brasil.

Merval Pereira, outro membro do Instituto Millenium, não conseguiu disfarçar sua simpatia pela candidatura do colega global. Para ele, Huck “além de popular, tem muito mais preparo e uma rede de contatos que pode viabilizar um programa de governo com substância”. Eu não sei que preparo Huck tem para comandar um país em profunda crise política e econômica, mas concordo que ele possui uma rede de contatos extensa. Vai de Joesley Batista, Flávio Rocha até Aécio Neves.

https://theintercept.com/2017/11/05/o-partido-novo-que-ja-nasceu-velho/

OAB – Nova trincheira comunista.

Caros amigos,
Nova trincheira comunista está sendo construída com o novo presidente nacional da OAB, Felipe Santa Cruz, eleito para o triênio 2019/2022.
Ele vai começar logo os ataques contra o governo, inicialmente partindo pra cima do ministro Sérgio Moro. Vamos acompanhar…
Seu pai foi guerrilheiro junto com a Anta… Ele odeia o Capitão, já tiveram vários embates.
A eleição dele foi arquitetada pelo Zé Dirceu, para atribuir um ar de “legalidade” na guerra contra o governo.
Precisamos repassar e ficar muito atentos!
Já começou a guerrilha contra o Brasil e a população de bem!
COMPARTILHE AO MÁXIMO!!!

Consultório Gratis

Caros amigos médicos,
Vocês que estudaram muito, lutaram 6 anos de faculdade, sacrificaram de 2 a 4 anos na residência médica, venderam bens da família para comprar equipamentos para seu consultório, em resumo, fizeram muito sacrifício para ser um profissional liberal vão entender o que eu escreverei a seguir.
Um consultório é o templo do exercício do profissionalismo liberal, não preciso definir, pois todos sabem o que significa. Lá você espera os seus pacientes ou clientes que vão a busca da sua capacidade, do seu conhecimento, do seu atendimento, e esta estrutura toda te um custo. Posso falar por mim, que pago aluguel, condomínio, segurança, secretária, atendente, internet, informática, insumos, instrumentos e um sem número de despesas que dividindo pelos dias trabalhados, ou sejam, 20 dias e atendendo 10 consultas a cada dia, o que totaliza 200 consultas, o custo de cada meia hora é R$ 26,47 isto no meu caso. E em uma consulta de R$60,00 sobram R$ 33,53 menos o 27,5% do IR sobram R$ 16,93 por cada consulta. Você vai dizer, mas só isso, bem, tem cirurgia que nem vale a pena sair de casa, pois receber menos de R$ 500,00 por uma cesariana ou um parto as 3 horas da madrugada é muito difícil.
Bem, mas nosso espírito de luta nos leva para frente, vamos atendendo um particular, um convênio que permita cobrarmos o valor e o paciente pedir ressarcimento e assim vamos nos defendendo neste mar de lutas.
Porém a UNIMED, que é nossa, que pertence a todos nós cooperados, com os mesmos deveres e obrigações teve a brilhante ideia de aumentar sua base aliada e criar a policlínica. Local onde você vai entrar com a caneta e a UNIMED vai proporcionar tudo, mas tudo mesmo, e vou repetir o que ela vai dar aos seletos colegas que foram premiados para atender. O cooperado vai receber o consultório, o condomínio, a segurança, a luz, a água, o computador, os impressos, a secretária, a atendente, a internet, a informática, os insumos, os instrumentos e até lanchinho.
Sabe quem vai pagar por tudo isso? Nós mesmos, em resumo, vamos pagar o consultórios dos colegas da base aliada.
Inconformado com esta forma de aliciamento de base alugada, entramos com ação para que os valores referentes as despesas da policlínica sejam cobrados diretamente dos cooperados beneficiados com a manobra.
O que falta é senso de respeito, igualdade e ninguém, mas ninguém mesmo pode se sentir ofendido quando for chamado de base alugada pois tal e qual as atitudes políticas que cooptam votos na vil política de ruas, nós estamos nos permitindo fazer igual.
Desculpem pelas palavras amargas e revoltadas, mas em quanto o Presidente ganha cerca de cinquenta mil reais, nós reles mortais recebemos esta miséria.
A saída é aplicar uma gestão honesta e eficiente, séria e salutar.
Comecem a pensar nas 10 medidas.
Um grande abraço a todos e fiquem com DEUS.

Costa e Silva de Herói a Bandido!

Busto de Artur da Costa e Silva, Ex-Presidente e agora Ditador, foi Criminosamente derrubado por Governador Petista e levado para um museu e será acompanhado de uma cópia do relatório da Comissão da “Verdade”.

Costa e Silva de Herói a Bandido!

Para Iniciar este Artigo gostaria de Expressar minha Indignação não com estes Bandidos que estão a todo custo Invertendo os Valores Morais e Éticos deste País e sim com os Militares do Alto Comando das FFAA, parece que não tem Homem nesta joça para tomar uma atitude? Vão deixar acabar com nossos Heróis do Passado? Hoje são eles e depois Serão vocês!

História Real de Costa e Silva

Artur da Costa e Silva foi um militar e político brasileiro, sendo o Vigésimo Sétimo Presidente brasileiro, o Segundo do Regime Militar.

Nascido em Taquari, no interior do Rio Grande do Sul, Costa e Silva era marechal do Exército Brasileiro quando assumiu a presidência da república e já havia ocupado o Ministério da Guerra no governo anterior, do marechal Castelo Branco.

Seu governo iniciou a fase mais dura e brutal do regime militar, à qual o general Emílio Garrastazu Médici, seu sucessor, deu continuidade.

Sob o governo Costa e Silva foi promulgado o AI-5, que lhe deu poderes para fechar o Congresso Nacional, cassar políticos e acabar de vez com o Comunismo no Brasil, visto que no seu governo houve um aumento significativo das atividades subversivas. Essa repressão ocorreu por meios legais e ilegais, como torturas contra militantes de esquerda.

Costa e Silva e Dilma Rousseff

Durante a campanha para a presidência da República, Costa e Silva escapou por pouco do atentado no Aeroporto Internacional dos Guararapes, Recife, em 25 de julho de 1966, onde era esperado por cerca de trezentas pessoas. O ataque terrorista realizado pela Var Palmares cujo Dilma Rousseff era uma das Lideres produziu vários mortos e feridos, dentre os quais foi assassinado o Vice-Almirante reformado Nelson Gomes Fernandes, ficando conhecido como o Atentado dos Guararapes. Costa e Silva nada sofreu, pois naquele dia seu avião entrou em pane em João Pessoa e ele se dirigiu para Recife de automóvel.

Na Presidência da Republica!

No dia de seu aniversário, em 3 de outubro de 1966, Costa e Silva foi eleito presidente da República pelo Congresso Nacional, obtendo 294 votos. Foi candidato único pela ARENA. O MDB se absteve de votar. Tomou posse em 15 de março de 1967em meio a grandes expectativas quanto ao progresso econômico e a redemocratização do país. Nesse mesmo dia, entrou em vigor a Constituição de 1967, deixando de vigorar, a partir daquele dia, os quatro atos institucionais (AIs) baixados por Castelo Branco.

Principais Feitos de Costa e Silva

1- Extinguiu a Frente Ampla, movimento de oposição que reunia políticos do período pré-64.

2- Combateu a inflação.

3- Revisou a política salarial.

4- Ampliou o comércio exterior.

5- Iniciou uma reforma administrativa e expandiu as comunicações.

O Brasil passava por um profunda crise no sistema de transportes, problemática que recebeu a máxima atenção em seu governo , ao lado do Plano Nacional de Habitação, mas não resolveu os problemas da Educação.

Em 4 de agosto de 1967, foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito.

Politicamente, porém, a situação se tornava mais tensa. Em 26 de junho de 1968, membros da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR) lançaram um carro-bomba contra o quartel-general do II Exército, em São Paulo. Mário Kozel Filho, soldado que era sentinela naquele momento, dirigiu-se ao carro e morreu quando a carga de dinamite explodiu. Foram feridos gravemente outros seis militares. “Este Grupo é o Mesmo VAR Palmares de Dilma Rousseff” Ainda em 1968, a morte do estudante secundarista Edson Luís em um confronto com a polícia provocou a Passeata dos Cem Mil, no Rio de Janeiro. A situação política agravou-se ainda mais em agosto, quando o deputado Márcio Moreira Alves recomendou, num discurso, que as moças se recusassem a dançar com cadetes em protesto contra o regime militar. O governo pediu licença ao Congresso Nacional para processar o deputado, mas o pedido foi negado. Costa e Silva convocou então o Conselho de Segurança Nacional e, no dia 13 de dezembro de 1968, editou o AI-5, que lhe dava poderes para fechar o Parlamento, cassar políticos e institucionalizar a repressão está foi uma Atitude Ditatorial, porém para mostrar que seu Objetivo não era Obter o Poder para si e sim libertar o País do Comunismo importado de Cuba o Próprio Costa e Silva Em maio de 1969, fizera anunciar a convocação de uma comissão de juristas para elaborar uma reforma política, por meio de emenda constitucional que incluiria a extinção do AI-5, voltando a ter plena vigência a Constituição de 1967 – aquela que havia institucionalizado o regime militar e que entrou em vigor no dia da posse de Costa e Silva, 15 de março de 1967.

Costa e Silva Hoje

Hoje o Herói que combateu o Comunismo “Ditadura do Proletariado” foi colocado como Vilão simplesmente porque quem estão no Poder hoje são os Terroristas que tentaram Matar Costa e Silva no Aeroporto Internacional dos Guararapes, os Mesmos que mataram o Jovem Soldado Mário Kozel Filho.

Crime contra a Verdade

Quero saber se os bananas que se dizem Generais vão parar de Brincar de Teatro e vão tomar uma Posição de Homem e parar esta palhaçada!

E o Povo Brasileiro que grita, chora e quase morre quando um atleta quebra a perna ou simplesmente sofre uma lesão vão deixar rasgar nossa História e reescrever as mais escabrosas mentiras contra nossos Verdadeiros Heróis? Aqueles que Mataram e Morreram na Luta por um País melhor!

Prova que foi Ordem de Dilma Rousseff

A divulgação do relatório final da Comissão Nacional Verdade (CNV) foi o ponto decisivo para a retirada da estátua do Ex-Presidente Arthur da Costa e Silva do principal ponto turístico de Taquari, cidade natal de Costa e Silva. Com auxílio de uma máquina retroescavadeira, a prefeitura derrubou o busto que ficava na Lagoa Armênia, desde 1976, na tarde desta terça-feira.

Segundo o prefeito Emanuel Hassen (PT), conhecido como Maneco, o relatório comprovou as “atrocidades” cometidas pelo presidente, que não merece uma homenagem na Lagoa.

— É o principal ponto de manifestações culturais da cidade, e a gente sabe que a ditadura foi contra qualquer manifestação, seja de música, dança ou arte. Não tinha mais sentido ficar ali — justifica Maneco.

Agora a Contradição, se este Maldito derruba o Principal ponto das Manifestações da Cidade! Quem ele ou Costa e Silva que é contra as Manifestações?costa e silva

Verifiquem o que está sendo ensinado aos seus filhos

Alerta para pais com filhos nas escolas. Verifiquem o que está sendo ensinado aos seus filhos e bibliografia adotada

Diego Casagrande (JORNALISTA DE PORTO ALEGRE)

Não espere tanques, fuzis e estado de sítio.
Não espere campos de concentração e emissoras de rádio, tevês e as redações ocupadas pelos agentes da supressão das liberdades.
Não espere tanques nas ruas.
Não espere os oficiais do regime com uniformes verdes e estrelinha vermelha circulando nas cidades.
Não espere nada diferente do que estamos vendo há pelo menos duas décadas.
Não espere porque você não vai encontrar, ao menos por enquanto.

A revolução comunista no Brasil já começou e não tem a face historicamente conhecida. Ela é bem diferente. É hoje silenciosa e sorrateira. Sua meta é o subdesenvolvimento. Sua meta é que não possamos decolar.Age na degradação dos princípios e do pensar das pessoas. Corrói a valorização do trabalho honesto, da pesquisa e da ordem.

Para seus líderes, sociedade onde é preciso ser ordeiro não é democrática.
Para seus pregadores, país onde há mais deveres do que direitos, não serve.
Tem que ser o contrário para que mais parasitas se nutram do Estado e de suas indenizações.

Essa revolução impede as pessoas de sonharem com uma vida econômica melhor, porque quem cresce na vida, quem começa a ter mais, deixa de ser “humano” e passa a ser um capitalista safado e explorador dos outros.

Ter é incompatível com o ser. Esse é o princípio que estamos presenciando.
Todos têm de acreditar nesses valores deturpados que só impedem a evolução das pessoas e, por consequência, o despertar de um país e de um povo que deveriam estar lá na frente.

Vai ser triste ver o uso político-ideológico que as escolas brasileiras farão das disciplinas de filosofia e sociologia,tornadas obrigatórias no ensino médio a partir do ano que vem.

A decisão é do ministério da Educação, onde não são poucos os adoradores do regime cubano mantidos com dinheiro público. Quando a norma entrar em vigor, será uma farra para aqueles que sonham com uma sociedade cada vez menos livre, mais estatizada e onde o moderno é circular com a camiseta de um idiota totalitário como Che Guevara.

A constatação que faço é simples.

Hoje, mesmo sem essa malfadada determinação governamental – que é óbvio faz parte da revolução silenciosa – as crianças brasileiras já sofrem um bombardeio ideológico diário.

Elas vêm sendo submetidas ao lixo pedagógico do socialismo, do mofo, do atraso, que vê no coletivismo econômico a saída para todos os males. E pouco importa que este modelo não tenha produzido uma única nação onde suas práticas melhoraram a vida da maioria da população. Ao contrário, ele sempre descamba para o genocídio ou a pobreza absoluta para quase todos.

No Brasil, são as escolas os principais agentes do serviço sujo..
São elas as donas da lavagem cerebral da revolução silenciosa.
Há exceções, é claro, que se perdem na bruma dos simpatizantes vermelhos.

Perdi a conta de quantas vezes já denunciei nos espaços que ocupo no rádio, tevê e internet, escolas caras de Porto Alegre recebendo freis betos e mantendo professores que ensinam às cabecinhas em formação que o bandido não é o que invade e destrói a produção, e sim o invadido, um facínora que “tem” e é “dono” de algo, enquanto outros nada têm.
Como se houvesse relação de causa e efeito.

Recebi de Bagé, interior do Rio Grande do Sul, o livro “Geografia”,obrigatório na 5ª série do primeiro grau no Colégio Salesiano Nossa Senhora Auxiliadora. Os autores são Antonio Aparecido e Hugo Montenegro.

O Auxiliadora é uma escola tradicional na região, que fica em frente à praça central da cidade e onde muita gente boa se esforça para manter os filhos buscando uma educação de qualidade.
Através desse livro, as crianças aprendem que propriedades grandes são de “alguns” e que assentamentos e pequenas propriedades familiares “são de todos”.

Aprendem que “trabalhar livre, sem patrão” é “benefício de toda a comunidade”. Aprendem que assentamentos são “uma forma de organização mais solidária… do que nas grandes propriedades rurais”.
E também aprendem a ler um enorme texto de… adivinhe quem?João Pedro Stédile, o líder do criminoso MST que há pouco tempo sugeriu o assassinato dos produtores rurais brasileiros.

O mesmo líder que incentiva a invasão, destruição e o roubo do que aos outros pertence. Ele relata como funciona o movimento e se embriaga em palavras ao descrever que “meninos e meninas, a nova geração de assentados…formam filas na frente da escola, cantam o hino do Movimento dos Sem-Terra e assistem ao hasteamento da bandeira do MST”.

Essa é a revolução silenciosa a que me refiro, que faz um texto lixo dentro de um livro lixo parar na mesa de crianças, cujas consciências em formação deveriam ser respeitadas.
Nada mais totalitário. Nada mais antidemocrático. Serviria direitinho em uma escola de inspiração nazifascista.
Tristes são as consequências.

Um grupo de pais está indignado com a escola, mas não consegue se organizar minimamente para protestar e tirar essa porcaria travestida de livro didático do currículo do colégio.

Alguns até reclamam, mas muitos que se tocaram da podridão travestida de ensino têm vergonha de serem vistos como diferentes. Eles não são minoria, eles não estão errados, mas sentem-se assim.
A revolução silenciosa avança e o guarda de quarteirão é o medo do que possam pensar deles.

O antídoto para a revolução silenciosa? Botar a boca no trombone.
Não há silêncio que resista ao barulho!

Diego Casagrande é jornalista em Porto Alegre

Por que não divulgam a fala do povo?

As fotos abaixo confirmam, infelizmente, o quanto a nossa mídia já está cooptada, pois não foram divulgadas, razão pela qual devemos divulgar através desse canal.

 

A IMPRENSA NADA DIVULGOU – VEJAM QUE NÃO É O AUMENTO DA SIMPLES PASSAGEM DE ONIBUS….

 

A mídia não publicou nada. Isto quer dizer: Folha de São Paulo, Estadão, Veja, etc.

Parabéns a todos os participantes da marcha de protesto contra o governo corrupto do ‘primeiroministro’ Sr. LULADRÃO.

Não se admirem que a mídia não divulgue a passeata. Houve várias passeatas no passado, contra o mesmo LULA, que sequer foram mencionadas no rodapé de algum jornal. A mídia está SUBORNADA. Precisa da propaganda governamental para sobreviver, nada falará…

 

TEMOS A OBRIGAÇÃO DE DIVULGAR.

As fotos abaixo confirmam, infelizmente, o quanto a nossa mídia já está cooptada, pois não foram divulgadas, razão pela qual devemos divulgar através desse canal.

 

A IMPRENSA NADA DIVULGOU – VEJAM QUE NÃO É O AUMENTO DA SIMPLES PASSAGEM DE ONIBUS….

 

A mídia não publicou nada. Isto quer dizer: Folha de São Paulo, Estadão, Veja, etc.

Parabéns a todos os participantes da marcha de protesto contra o governo corrupto do ‘primeiroministro’ Sr. LULADRÃO.

Não se admirem que a mídia não divulgue a passeata. Houve várias passeatas no passado, contra o mesmo LULA, que sequer foram mencionadas no rodapé de algum jornal. A mídia está SUBORNADA. Precisa da propaganda governamental para sobreviver, nada falará…

 

TEMOS A OBRIGAÇÃO DE DIVULGAR.

As fotos abaixo confirmam, infelizmente, o quanto a nossa mídia já está cooptada, pois não foram divulgadas, razão pela qual devemos divulgar através desse canal.

A IMPRENSA NADA DIVULGOU – VEJAM QUE NÃO É O AUMENTO DA SIMPLES PASSAGEM DE ONIBUS….

A mídia não publicou nada. Isto quer dizer: Folha de São Paulo, Estadão, Veja, etc.

25-03-2013.jpg

25-03-2013                                                            (1).jpg

25-03-2013                                                            (2).jpg

25-03-2013                                                            (3).jpg

25-03-2013                                                            (4).jpg

25-03-2013                                                            (5).jpg

25-03-2013                                                            (6).jpg

25-03-2013                                                            (7).jpg

25-03-2013                                                            (8).jpg

Parabéns a todos os participantes da marcha de protesto contra o governo corrupto do ‘primeiroministro’ Sr. LULADRÃO.

Não se admirem que a mídia não divulgue a passeata. Houve várias passeatas no passado, contra o mesmo LULA, que sequer foram mencionadas no rodapé de algum jornal. A mídia está SUBORNADA. Precisa da propaganda governamental para sobreviver, nada falará

TEMOS A OBRIGAÇÃO DE DIVULGAR.

Uma belíssima aula de português!

Uma belíssima aula de português!
Foi elaborado para acabar de vez com toda e qualquer dúvida sobre presidente ou presidenta.

Existe a palavra: PRESIDENTA?
Que tal colocarmos um “BASTA” no assunto?
Miriam Rita Moro Mine – Universidade Federal do Paraná.

No português existem os particípios ativos como derivativos verbais. Por exemplo: o particípio ativo do verbo atacar é atacante, de pedir é pedinte, o de cantar é cantante, o de existir é existente, o de mendicar é mendicante… Qual é o particípio ativo do verbo ser? O particípio ativo do verbo ser é ente. Aquele que é: o ente. Aquele que tem entidade.
Assim, quando queremos designar alguém com capacidade para exercer a ação que expressa um verbo, há que se adicionar à raiz verbal os sufixos ante, ente ou inte. Portanto, a pessoa que preside é PRESIDENTE, e não “presidenta”, independentemente do sexo que tenha (ou que gostaria de ter). Diz-se: capela ardente, e não capela “ardenta“; se diz estudante, e não “estudanta“; se diz adolescente, e não “adolescenta“; se diz paciente, e não “pacienta“. Um bom exemplo do erro grosseiro seria: “A candidata a presidenta se comporta como uma adolescenta pouco pacienta que imagina ter virado eleganta para tentar ser nomeada representanta. Esperamos vê-la algum dia sorridenta numa capela ardenta, pois esta dirigenta política, dentre tantas outras suas atitudes barbarizentas, não tem o direito de violentar o pobre português, só para ficar contenta“.

Por favor, pelo amor à língua portuguesa, repasse essa informação…
DE HOJE EM DIANTE SÓ PUXA SACO IGNORANTE E PETISTA DIRÁ: PRESIDENTA

Repúdio a DILMA pela importação de médicos não tão bem preparados!

Medida anunciada pela presidente Dilma é repudiada pelas entidades médicas nacionais
As entidades médicas nacionais divulgaram neste sábado (22) nota de repúdio ao anúncio de importação de médicos estrangeiros feito pela presidente Dilma Rousseff, durante pronunciamento em cadeia nacional no dia 21. “O caminho trilhado é de alto risco e simboliza uma vergonha nacional. Ele expõe a população, sobretudo a parcela mais vulnerável e carente, à ação de pessoas cujos conhecimentos e competências não foram devidamente comprovados. Além disso, tem valor inócuo, paliativo, populista e esconde os reais problemas que afetam o Sistema Único de Saúde (SUS)”, ressalta o texto.

Leia a NOTA NA ÍNTEGRA AQUI

 

ANUNCIE AQUI
PORTAL FENAM